Para Memorizar

O Batismo é nossa união com Cristo Jesus (Gl 3:27)

Jesus foi o homem mais brilhante que já viveu sobre a face da terra. Ele é a pedra fundamental da nossa fé. Nele estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e da ciência . Sua vida e sua obra manifestaram ao mundo o amor e o coração do único Deus verdadeiro . Ele não veio simplesmente mostrar a verdade ou uma melhor forma de viver. Com a autoridade de quem não pode mentir, ele disse abertamente o que nenhum outro jamais ousou dizer: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida”. Jesus afirmou ser Ele mesmo a verdade, Ele é a verdadeira vida e também é o único caminho. Não há outra maneira de irmos a Deus a não ser por Jesus, pois ele é o próprio Deus feito homem.

Sua história começa muito antes de seu nascimento em Belém da Judéia, muito além do mais distante passado que nossas mentes podem remontar. Jesus é um ser eterno, que existe no próprio Deus desde sempre . Ele existia muito antes que o mundo existisse, e não somente isso, Ele é o próprio Criador do mundo . Ele é a Palavra Eterna, o Verbo Eterno de Deus, através do qual tudo o que é concebido no coração do Pai torna-se realidade.

Mateus 4:16 “...o povo que vivia nas trevas viu uma grande luz; sobre os que viviam na terra da sombra da morte raiou uma luz”.

No meio das mais densas trevas que envolviam a humanidade, raiou uma luz. A verdadeira luz que ilumina todo homem veio ao mundo e habitou entre nós. Para satisfazer o amor e a justiça de Deus, a Palavra Eterna tornou-se um ser humano, uma de suas criaturas. O Verbo Eterno tornou-se Jesus de Nazaré. Ele poderia ter escolhido vir ao mundo como um rei, com exércitos ao seu comando, riquezas e glória, mas escolheu nascer num estábulo, numa família pobre, ser carpinteiro e ter a vida e um homem comum.

Jesus foi um homem como nós, de carne e ossos, que sentia fome, sede, frio, calor, cansaço e dor. Ele se emocionava, se alegrava, se entristecia, chorava e ria. Era um ser humano como eu e você . Sua vida foi perfeita, pois ele não cometeu nenhum pecado nem falou enganosamente. Tudo que ele fez estava em perfeita harmonia com a vontade de Deus, o Pai. Ele dependeu dele em tudo o que fez e, por isso, sempre o agradou . Esse homem cheio do Espírito de Deus se importou com os desprezados (Lc 7:37-48), curou os enfermos (Lc 4:40), deu esperança aos desesperados (Lc 8:43-48), libertou os oprimidos pelo diabo (Lc6:17-18), realizou grandes milagres (Mt 14:15-20), ressuscitou mortos (Jo 11:41-44), ensinou as mais profundas lições da vida (Lc 12:15 Mt 6:19-21, Mt 6:25-34, Mc 8:34-36) e amou como jamais alguém amou neste mundo (Lc 23:33-34). Ele foi um homem perfeito, que agiu sempre pelo poder do Espírito Santo concedido a ele sem medida pelo Pai (At 10:42).

Sua vinda a esse mundo, porém, tinha um objetivo maior do que ensinar a verdade, curar enfermos, expulsar demônios e realizar milagres. Jesus iria morrer numa cruz para resgatar a humanidade pecadora. Sua vida justa e santa seria oferecida para satisfazer a Justiça de Deus. Nele Deus encontrou o homem perfeito capaz de morrer em favor de toda humanidade. Ele foi o cordeiro sem defeito, oferecido como sacrifício pelos nossos pecados, que espontaneamente se entregou para morrer na cruz, recebendo o castigo que era destinado a nós, eliminando assim todas as dívidas que tínhamos para com Deus. A punição que nós deveríamos receber pelos nossos pecados, ele recebeu sobre si mesmo quando morreu na cruz .

Depois de sua morte, Jesus foi retirado da cruz, envolvido em um pano e seu corpo, frio e desidratado, foi sepultado num túmulo cavado numa rocha. Uma grande pedra foi rolada sobre a porta do túmulo fechando-o completamente. Na manhã do terceiro dia, três mulheres foram até o túmulo levar especiarias para embalsamar o corpo, mas quando chegaram lá, tiveram uma grande surpresa. A pedra havia sido removida e dois anjos estavam aguardando por elas: “Por que vocês procuram entre os mortos aquele que está vivo?” – disseram eles. “Ele não está aqui! Ressuscitou!”. Conforme as palavras dos anjos, Jesus havia ressuscitado dentre os mortos, rompendo os laços da morte e, posteriormente, apareceu vivo a diversos de seus discípulos permanecendo com eles por um período superior a quarenta dias, ensinando sobre o reino de Deus.

Depois disso, Deus o elevou ao céu e os portais eternos se abriram para receber Jesus, o senhor poderoso na batalha, que retornava vitorioso a sua habitação celestial. Deus o estabeleceu na mais alta posição, fazendo-o assentar-se a sua direita, dando-lhe toda autoridade sobre tudo que existe no céu e na terra e um nome que está acima de todo nome – o nome “Senhor” – para que todo joelho se dobre e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor!

Tendo subido ao céu, Jesus enviou o Espírito Santo, por meio do qual ele mesmo vem habita no interior de todos os que creem no seu nome. Hoje, Jesus Cristo é o Senhor sobre todo o Universo e vive em nós! E como Rei e Senhor ele voltará outra vez para buscar sua Igreja gloriosa .